De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

quarta-feira, setembro 02, 2015

desculpas pelo incómodo

Estou bem, felizmente.
Ontem à noite, preparei uma incursão pela costa atlântica da Galiza.
Esta manhã ao acordar vi que o céu se apresentava densamente acinzentado.
Os projectos de viagem em autocaravana, tem vantagens várias, sendo que a que mais me cativa, é de num minuto alterarmos o rumo, e neste caso, para não defraudar as expectativas da 'pendura', optei num abrir e fechar de olhos por me dirigir a sul.
E o Sol voltou neste fim de tarde em Buarcos (Figueira da Foz) onde pernoitarei.
A descrição da viagem a França ficará incompleta esperando até final do mês acabar a publicação.
Grato pela compreensão.
12 dias de pequena viagem entre Buarcos/Costa de Lavos e Vagos
Dia 2setembro2015 - 4ª. feira
  Braga a Buarcos
Quase toda a viagem decorreu junto ao Atlântico, com o céu encoberto.
Ao chegar a Quiaios umas abertas foram animando os ânimos.
por sugestão de outra autocaravanista, estacionamos num local privilegiado que substitui de forma cabal o habitual estacionamento (agora pago) da Figueira da Foz (aqui a 5 km ). 
Não tem nada que saber. A norte da Figueira, avista-se a ''chaminé'' e nas redondezas da mesma, não faltam locais para ficar com uma vista soberba sobre o mar e ainda com praia ao lado.
Com o estacionamento gratuito, o 'lancha' irresistível.


a uns 100 mts - Figueira ao fundo
Percorridos: 198 Km
Gps: N 40º 10' 26.8''   -   W  8º 53' 39.3''
Dia 3set15 - 5ª. feira
BUARCOS


Nesta Rua sem saída, o espaço vago abunda.
 Um dia dedicado ao Mar, caminhando, fruindo toda esta paisagem.
Lá está a minha casinha - lá no alto o ruído chega atenuado pelas ondas do mar


Quando se descansa, no aconchego da AC a paisagem também conta.
Nenúfares

Do Café até à AC... um pulinho...
e mais um dia a fechar em beleza



de fora para dentro
da sala
do cockpit
Dia 4set15 - 6ª. feira
BUARCOS - COSTA DE LAVOS
Após o almoço... há que abalar que se faz vento norte...
Reabastecimento no Lidl mais próximo em Buarcos
Figueira à vista
passagem para a outra banda
Novo poiso uma dúzia de Km a sul - AS para AC da Costa de Lavos
a praia paredes meias




AS para AC gratuita - wc , água e despejos - praia ao lado

mais um dia bem passado
caminhando

mais um ocaso


Percorridos: 216 Km ( Dia 18 Km)
Gps: N 40º 05' 16.1''  W 8º 52' 28.7''
Dia 5set15 - sábado
COSTA DE LAVOS





Para quem aprecia: Um belo dia de praia. Sem vento, água nada fria e... Festa em honra de Nª Sra da Conceição...


No final de dia, depois do ocaso... a Festa.
Antes da Festa, o leilão de peixe... cabazes de faneca e carapau


Meio cabaz a 5.000 réis - 1 Cabaz a 10.000 Réis!!! ( €5,00 e € 10,00!)

Gaivotas mil

Arte Xávega com tratores


GNR a cavalo das bikes
O jantar à espreita










As Festas

Noite de procissão de velas
Dia 6set15 - domingo
COSTA DE LAVOS
 A procissão...











O Sr padre de 'ténis'???

A chegada da rede... 



Muito peixe... fanecas, carapaus... SARDINHAS... mesmo se proibidas!!!





O leilão...

Cação
O Gatolas

Festa... é Festa!
Mais um final de dia - diferente.




Dia 7det15 - 2ª feira
COSTA DE LAVOS
Pela manhã... 
A visita à Casa do Pescador. Fachada antiga mantida e restaurada. O interior arejado e decorado com adornos da pesca e das casas dos pescadores.

Restauro em 2014 com apoios comunitários


réplica da 'Arte Xávega'





Defronte da Casa do Pescador, um pequeno museu 





No final da tarde, o sempre interessante vivenciar da chegada das redes.






O pescador após separar o peixe, 'joga' na areia um cabaz de peixe dizendo antes: ''Vou ao quintal... dar de comer às galinhas''... e às centenas em voo picado limpam o areal em segundos!


No Café ''O Duna''uma visita inesperada... Um casal de AC que apenas conhecia da net.


Dia 9set15 - 4ª. feira
Costa de Lagos - Buarcos
A manhã surgiu cinzenta e uma chuvinha miúda fez-nos mudar para Buarcos. Afinal o frigorífico também precisava de ser reabastecido.
passagem da Figueira da Foz

O extenso areal da Figueira apresentava-se despido de gente
O apetite de sair da toca levou-me a Buarcos... nesta rua sem saída sobre o oceano
No final de dia, eis que chega o Eduardo, que vinha de Carcavelos a caminho de Ponte de Lima para ir à Festa das vindimas - Feiras Novas - Um reencontro agradável, graças ao FB.

Após o jantar, o tempo amainou o que permitiu fazermos duas voltas em círculo ao quarteirão.  
Dia 10set15 - 5ª. feira
Buarcos - Armazéns - Costa de Lavos
A manhã surgiu com o sol a penetrar por entre algumas nuvens.
Plano para o final da manhã, aceite e partilhado com o Eduardo: A visita da Eco Museu do Sal e o almoço num dos restaurantes ali ao pé, especialistas em pratos de enguias.



O ingresso no pólo do Eco Museu do Sal, faz-se pelo custo de €1,00/pessoa.
Numa sala decorada com quadros alusivos à história das salinas uma bióloga faz de forma interessante a descrição bem elaborada e cativante.
Esta unidade museológica está inserida na Salina Municipal do Corredor da Cobra, compreendendo um armazém tradicional, um circuito pedestre de 4 km e um Museu de sítio, construído em madeira, elemento fundamental no Salgado da Figueira da Foz, esta estrutura está posicionada para que o olhar do viajante rasgue o sol e o sal. A existência deste complexo natural e cultural permite a todos, a fruição de um legado que é elemento essencial da paisagem e da história da Figueira da Foz.

Já no exterior efetuamos alguns percursos entre salinas e visitamos um dos armazéns de recolha do precioso sal.
Nós e o Eduardo estacionados junto ao complexo do sal
Nas lagoas contíguas confraternizamos com as aves pernaltas que me seduzem: os flamingos.
O meu parceiro de viagem ao Tour de France, não resistiu... veio de Lisboa aqui para que os dois prossigam nas visitas às salinas!!! O meu abraço ao Eduardo.
Nos tempos idos, as gentes das salinas tinham estas fechaduras rudimentares - todas diferentes já que apenas os proprietários sabiam do segredo da abertura.



Falmingos ainda resistem no Mondego



Os visitantes são convidados a fazer os montículos de sal
O Monte Branco
As cegonhas sempre presentes
O acesso ao Eco Museu do Sal



O Eco Museu do Sal, fica na localidade de nome ARMAZÈNS conhecida pelos seus Restaurantes onde se podem apreciar alguns pratos de enguias colhidas nas proximidades das salinas.
Escolhemos a Casa Mariquinhas
Não sendo já hora para se confecionar o almoço, fomos a um dos Restaurantes.
Confesso não ser um apaixonado por enguias, contudo, desta vez, degustei as ditas fritas. Preferiria a caldeirada que já conhecia do Cais do Bico.
Despedimo-nos do Eduardo que rumaria a Ponte do Lima para as Feiras Novas e voltamos à Costa de Lavos onde temos passado uns agradáveis dias.
À chegada à Costa de Lavos havia quem aproveitasse o belo sol que fazia
Numa AS ao pé do oceano, tinha de ser
E mais um belo final de dia junto ao mar.

Dia 11set15 - 6ª. feira
Costa de Lavos
Dia dedicado ao descanso na praia.
Antes de partir para esta pequena viagem, um Amigo decidiu encontrar-me no café para me oferecer um livro sobre viagens de Nuno Lobito.
Li-o de uma penada só.
Serviu para me alimentar um dos sonhos realistas que levarei a cabo se tiver quem me siga: O Irão (via Geórgia).
Sim. Gostaria um dia de a fazer... de autocaravana, claro.

À noite, na companhia dum casal de Braga que nos visitou de autocaravana, a Deolinda e A Soares (Já que raramente nos encontramos na nossa cidade...), fomos ao Cinema na Casa dos Pescadores. 

Foram três 'curtas' do Figueira Film Art - 1 sobre o têxtil da Covilhã, outro sobre a Arte de tipografia do Seixal ( Tipografia Popular ) , ambos já visionados por mim na TV e o terceiro, sobre a 'Arte Xávega' de Lavos.
Interessante.
Dia 12set15 - sábado
Costa de Lavos - Buarcos - Cabo Mondego - Praia de Quiaios - VAGOS
Pela manhã, eu e o A Soares próximo das nossas vivendas...
Passagem pela Figueira da Foz a caminho de Buarcos
Os nossos amigos seguiram para casa. Ficamos a pensar pernoitar de novo em Buarcos.

um local apetecível e calmo - o bater das ondas dilui o ruido das viaturas


lá está 'ela'
paragem no Cabo Mondego
Acedendo ao desafio da divulgação do I encontro de AC em Vagos, decidimos prosseguir indo lá pernoitar.
A sempre agradável paragem no Cabo Mondego.
A cimenteira que destrói a paisagem
Para a posteridade?
Prosseguimos pela 'má' estrada que atravessa a Serra da Boa Viagem.
Estreita e parcialmente esburacada. Arrependi-me da odisseia.
Breve passagem pela praia de Quiaios numa tarde algo nublada e tristonha.

Chegada ao local do encontro para pernoita.
Local agradável junto a um afluente do Rio Vouga.


Com o apoio da Autarquia, os autocaravanistas haviam feito uma visita aos locais interessantes da terra.

A ideia dos 'encontros' será a sensibilização da Autarquia para a acriação de uma AS na localidade
Percorridos: 345 Km
N 40º 33' 14.2'' W 8+ 40' 47.1''
Dia 13set15 - domingo
VAGOS - PORTO - BRAGA
 Decidimos visitar o Museu do Brincar.



Um pequeno mas interessante espaço. Obviamente que a parte do espaço que mais me cativou, foi a que continha brinquedos da minha infância.


 Nostalgia - a sala de aulas portuguesa do passado - a temida palmatória




A meio da visita comecei a sentir-me mal. Uma espécie de cansaço nos membros superiores, inferiores e cabeça...
Regressei calmamente. 
Depois de algumas pressões... fui ao Hospital privado.
Que seria um 'vírus' que andava por aí...
A PASSAGEM DA PONTE D'ARRÁBIDA
Percorridos: 485 Km

Enviar um comentário